Últimas Notícias

Institucional

Campanha de campeão: Como o Londrina chegou ao título

Soberano em grande parte da competição, confira em dados e curiosidades, como foi a campanha do Tubarão na Taça de Prata

Por Jefferson Bachega/ Londrina EC
quarta-feira, 20 de maio de 2020
Campanha de campeão: Como o Londrina chegou ao título
Com a melhor campanha, jogadores londrinense comemoraram o título ao final da competição. (Foto: Folha de Londrina)

Muito além da conquista da Taça de Prata, que por si só já é um grande resultado, o Londrina mereceu o título, pois no total da competição, foi a equipe que somou o maior número de pontos. O técnico Jair Bala utilizou 20 atletas na campanha vitoriosa.

 

Como era a competição?

 

Em 1980, houve uma série de mudanças através da CBF para as disputas das duas divisões nacionais no Brasil. A primeira delas foi a diminuição de clubes na elite, o que fez o Tubarão jogar a Taça de Prata naquele ano.

 

Apesar de já ter havido edições anteriores do segundo escalão do futebol brasileiro, aquela seria a primeira disputa da Taça de Prata!

 

Na competição, 64 clubes tinham dois objetivos para o campeonato, em um primeiro momento, os líderes dos oito grupos da 1ª fase se enfrentavam no mata-mata em busca do acesso para a Taça de Ouro, ainda em 1980. O outro objetivo e não menor, era a conquista da Taça de Prata e junto com ela, o acesso à Taça de Ouro de 1981.

 

Na 1ª fase, 64 clubes foram divididos em oito grupos com oito participantes, onde se enfrentam em turno único, sendo o campeão de cada categoria, avançava a 2ª fase brigando por uma vaga na Taça de Ouro. Os segundos e terceiros colocados dos grupos, iriam direto para a 3ª fase, onde encontrariam os perdedores da 2ª fase.

 

A 3ª fase era dividida em quatro grupos de cinco equipes, que também jogavam em turno único, onde apenas o campeão de cada classe teria sua vaga nas semifinais da Taça de Prata.

 

A partir daí, dois jogos de ida e volta nas semifinais, onde os vencedores se enfrentavam na grande final em busca do título. Os dois finalistas já garantiriam suas vagas na Taça de Ouro de 1981.

 

Londrina na 1ª fase

 

Iniciando o ano (naquela época o campeonato nacional era no primeiro semestre e o estadual no segundo semestre), o técnico Jair Bala contou com os remanescestes de 1979 e aos poucos foram chegando atletas para auxiliar a equipe.

 

O Tubarão caiu no Grupo H com equipe regionalizadas de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O LEC estava ao lado de: Juventus (SP), Comercial (SP), Athletico Paranaense (PR), Chapecoense (SC), Criciúma (SC), Brasil (RS) e Juventude (RS).

 

A estreia do Alviceleste foi em Ribeirão Preto, contra o Comercial (SP), empate por 0 a 0. Na segunda partida, seu primeiro jogo no Estádio do Café e o Tubarão foi derrotado por 1 a 0, para o Athletico Paranaense.

 

Para conquistar os pontos perdidos em casa, o LEC ganhou os três pontos no sul de Santa Catarina, ao vencer o Criciúma por 2 a 1, com dois gols de Paulinho. A primeira vitória em casa, aconteceu na sequência, quando derrotou o Brasil de Pelotas por 2 a 1, no Café. Os gols foram de Everton e Zé Dias.

 

A última derrota do Londrina na Taça de Prata veio na quinta rodada, contra a forte Juventus (SP), na Rua Javari, onde o Moleque Travesso fez 4 a 1 no Tubarão. O gol do LEC foi marcado por Paulinho. Para se recuperar e buscar a classificação, o Alviceleste recebeu e ganhou do Juventude por 2 a 0, com gols de Lívio e Everton.

 

Na última rodada, o Londrina não dependia só dele, precisava que a partida entre Athletico Paranaense e Comercial terminasse empatada e que o LEC derrotasse a Chapecoense, em Chapecó (SC). No sábado (22), os adversários do Tubarão ficaram no 0 a 0, em Curitiba (PR). No domingo (23), Everton, Zé Roberto e Toninho fizeram os gols e com 3 a 1, o Alviceleste se classificou pelo número de vitórias.

 

Na 1ª fase, o Londrina terminou na 3ª colocação com nove pontos em sete jogos. Venceu quatro partidas, empatou uma e foi derrotado em duas oportunidades. Marcou 10 gols e sofreu oito. Paulinho e Everton com três gols anotados cada, foram os artilheiros do LEC até o momento. Com o 3º lugar, o Alviceleste garantiu sua vaga na 3ª fase e aguardava seus adversários.

 

Londrina na 3ª fase

 

Após a realização da 2ª fase, o LEC conheceu seu grupo na sequência da competição. No Grupo J, não mais regionalizado, o Tubarão iria enfrentar: Grêmio Maringá (PR), Sampaio Corrêa (MA), Anapolina (GO) e Bonsucesso (RJ). A Anapolina foi o único clube do grupo que disputou a 2ª fase, mas acabou perdendo o mata-mata para o Sport (PE), com um empate e uma derrota.

 

Com mais peças no elenco e já com um time na cabeça, Jair Bala engrenou de vez e então, foi só sucesso na campanha do Tubarão!

 

A estreia do Tubarão foi contra um velho e grande conhecido, o Clássico do Café marcou o primeiro jogo do Londrina na 3ª fase. De virada, no Estádio do Café, os laterais Toninho e Zé Antônio marcaram os gols da vitória por 2 a 1. O Londrina folgou na 2ª rodada e o segundo jogo foi em São Luís (MA), contra o Sampaio Corrêa e três pontos na bagagem, Paulinho e Zé Roberto balançaram as redes do 2 a 1 para o LEC.

 

Novamente em casa, o Alviceleste recebeu a Anapolina e aplicou 3 a 0, com direito a um hat-trick do atacante Paulinho, se fosse hoje, pediria música no Fantástico. Já na última rodada, contra o Bonsucesso (RJ), no Rio de Janeiro (RJ), Lívio fez o gol da vitória e da classificação as semifinais, mantendo o LEC com 100% na 3ª fase.

 

Jogos decisivos

 

Na semifinal, o Tubarão iria encarar o Botafogo de Ribeirão Preto, com o primeiro jogo na cidade paulista e a volta no Estádio do Café. No Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP), o Londrina se saiu melhor e venceu a partida de ida por 2 a 1, Paulinho e Nivaldo fizeram a festa da torcida Alviceleste.

 

Uma semana depois em Londrina (PR), nova vitória contra o clube paulista, dessa vez, por 1 a 0, gol do meio-campo Everton. Jogo para mais de 18 mil pessoas no Café.

 

Na final, o adversário do LEC foi o CSA, outra vez, com a partida inicial fora de casa e a volta no norte paranaense. Em Maceió (AL), com o Estádio Rei Pelé lotado, Paulinho abriu o placar na segunda etapa, mas Dentinho igualou o jogo, trazendo a decisão aberta para Londrina.

 

No Estádio do Café, Zé Antônio, Lívio e Paulinho, por duas vezes, fizeram a alegria do torcedor londrinense para a grande conquista da Taça de Prata de 1980.

 

Dados da campanha

 

Ao todo, o Londrina fez 15 jogos na competição e somou 24 pontos no total, com direito a 11 vitórias, dois empates e duas derrotas. O time marcou 26 gols e sofreu apenas 12 tentos, tendo um saldo total de 14 gols positivos.

 

O goleiro Jorge, o zagueiro Fernando, o lateral-esquerdo Zé Antônio e o meio-campo Everton foram os únicos atletas do Tubarão a jogarem em todas as partidas pelo menos um minuto.

 

Paulinho foi o artilheiro do LEC na competição com 11 gols, seguido por Everton com quatro gols e Lívio com três tentos. Dos 15 jogos, o arqueiro Jorge não sofreu gols em seis oportunidades. Desde que a dupla de zaga foi Gilberto e Fernando, o Tubarão sofreu apenas cinco gols em 10 jogos.

 

Nas sete partidas como mandante no Estádio do Café, o Londrina levou uma média de 11.796 pagantes por jogo. O menor público aconteceu na estreia em casa, contra o Athletico Paranaense com 1.175 pagantes e o maior público, na final contra o CSA, com 36.489 pagantes.

 

Confira os jogadores que Jair Bala utilizou na competição e a quantidade de jogos de casa um:

 

Jorge – 15 jogos
Fernando – 15 jogos
Zé Antônio – 15 jogos
Everton – 15 jogos
Paulinho – 14 jogos
Toninho – 13 jogos
Lívio – 13 jogos
Zé Dias – 13 jogos
Zé Roberto – 12 jogos
Wanderley Paiva – 10 jogos
Claudinho – 10 jogos
Gilberto – 10 jogos
Jacy – 9 jogos
Nivaldo – 7 jogos
Ademar – 7 jogos
Arenghi – 5 jogos
André – 5 jogos
Luiz Valença – 4 jogos
Luiz Gustavo – 1 jogo
Nelsinho – 1 jogo

Mais Notícias do LEC
Newsletter
Assine a nossa Newsletter e receba todas as novidades do LEC!